segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

O QUE JESUS ESPERA DE MIM?

43 Não há árvore boa que dê mau fruto; nem tampouco árvore má que dê bom fruto. 44 Porquanto cada árvore é conhecida pelo seu próprio fruto. Porque não se colhem figos de espinheiros, nem dos abrolhos se vindimam uvas. 45 O homem bom do bom tesouro do coração tira o bem, e o mau do mau tesouro tira o mal; porque a boca fala do que está cheio o coração. 46 Por que me chamais Senhor, Senhor, e não fazeis o que vos mando? 47 Todo aquele que vem a mim, e ouve as minhas palavras, e as pratica, eu vos mostrarei a quem é semelhante.48 É semelhante a um homem que, edificando uma casa, cavou, abriu profunda vala e lançou o alicerce sobre a rocha; e, vindo a enchente, arrojou-se o rio contra aquela casa e não a pôde abalar, por ter sido bem construída. 49 Mas o que ouve e não pratica é semelhante a um homem que edificou uma casa sobre a terra sem alicerces, e, arrojando-se o rio contra ela, logo desabou; e aconteceu que foi grande a ruína daquela casa.
Lucas 6: 43 a 49


INTRODUÇÃO - Primeiras palavras
Dizem que a primeira impressão é a que fica. Também dizem que: Dificilmente se têm uma segunda chance de apagar uma primeira impressão.
Sobre primeira impressão, lembro-me de um estória que diz: Um pastor recebia um jantar de despedida pelos 25 anos de trabalho ininterrupto na igreja. Um membro da comunidade foi convidado para entregar um presente e proferir um pequeno discurso. O irmão se atrasou e o pastor resolveu proferir umas palavras.
"A primeira impressão que tive da igreja, foi com o primeiro aconselhamento que fiz…a pessoa disse que tinha roubado um aparelho de TV, que tinha roubado dinheiro dos seus pais, também tinha roubado a empresa onde trabalhava, Fiquei assustadíssimo… Mas com o passar do tempo, entretanto, fui conhecendo mais gente que em nada se parecia com aquele homem… Inclusive vivi a realidade de uma igreja cheia de gente responsável, com valores, comprometida com sua fé e desta maneira tenho vivido os 25 anos mais maravilhosos do meu ministério"!
Justo nesse momento chega o irmão (atrasado), e foi lhe dado a palavra para entregar o presente da comunidade, prestando a homenagem ao pastor. Ele pediu desculpas pelo atraso e começou o discurso dizendo:
Nunca vou esquecer do dia em que o pastor chegou na igreja… Como poderia? Tive a honra de ser o primeiro a se aconselhar com ele…

O texto de Lucas 6 é o final do que se chama de O Sermão da Planície. Jesus pregou essa mensagem muito semelhante ao sermão da montanha, mas agora em uma planície.
Esse é o primeiro sermão de Jesus, e entender este sermão é compreender qual foi a preocupação de Jesus nas primeiras palavras que ele pregou. Ora, o primeiro sermão é definidor, é o marco zero, é o início, é o ponto de partida. Ele acabou de chamar os primeiros discípulos e vai lhes dar as primeiras palavras.
Esse sermão começa no versículo 17 e Jesus vai falar de Bem aventuranças, no vs24 Jesus diz dos “aís”, aí dos ricos, dos que tem fartura, depois ele fala do nosso relacionamento com o próximo, em seguida sobre fazer o bem, na sequência sobre não julgarmos.
Agora estamos no fim do sermão, e Jesus vai dar uma espécie de resumo do que ele quer falar.
E é neste ponto que há algumas verdades nesse texto que revelam o que Jesus realmente espera de nós. Que tipo de pessoas devemos ser, que tipo de espiritualidade devemos ter, ou até mesmo que tipo de Cristão Jesus espera que sejamos.
Vejamos:


1° APRENDA A LIDAR COM A VIDA
Antes de lidar com assuntos “espirituais” eu tenho que aprender a lidar com os humanos.
Veja que no primeiro sermão de Jesus existem poucos assuntos “espirituais”. Não há nada de anjos, demônios, céu, inferno, querubins, potestades, etc.
Antes de lidarmos com a espiritualidade que está “no alto”, seria bom que nós aprendêssemos a lidar com a espiritualidade ligada a vida aqui “debaixo”. Grave isto: "A Espiritualidade desconectada da vida não passa de mera coreografia religiosa".
Agora, vamos concordar que para nós é muito mais fácil lidar com essa espiritualidade “alta”, “do espaço”, porque nesses assuntos super espirituais nós não temos que lidar com nós mesmos. Não temos que encarar a realidade, os dramas e os desafios de viver aqui na terra.
Um dos maiores erros da nossa geração está sendo confundir frenesi com espiritualidade. Você vem ao culto e levanta as mãos, fala alto, sapateia, mas quando você chega em casa:
O Jovem: Não consegue se relacionar com a sua mãe, com o pai, cola na prova, mata aula, é um péssimo aluno, respondão.
O Homem: é um péssimo marido, um empresário corrupto, grosseiro, desatento com os filhos
A Mulher: é relaxada com as coisas da casa, vive envolvida em fofoca, maledicência, intriga, noveleira.
É nesse ponto que o culto se tornou um Blá, Blá, Blá. De nada adianta uma espiritualidade que não me ensina a lidar com as coisas da vida!
Jesus está dizendo: Você tem que aprender a lidar com o fruto. A árvore dá fruto, e o fruto é a nossa vida.
Saiba que Jesus não se impressiona com o “display” da vida espiritual (com o rótulo) ele quer saber do conteúdo. Ouve um tempo que o culto de Israel era exuberante (Isaías 1) mas Deus o rejeitava, pois o povo estava se esquecendo de cuidar do órfão, da viúva, das coisas da vida.
Qual o fruto que está saindo da sua vida de fé? Nos relacionamentos, em casa, nos negócios, sua ética?
É fácil querer estar no “degrau de cima” da espiritualidade, pois aí não sou confrontado no prático.

2° TRANSFORMAR O MEU CARÁTER (44)

Os comportamentos são conseqüência dos conteúdos do nosso caráter.
Jesus disse que: ...não se colhem figos de espinheiros, nem dos abrolhos se vindimam uvas (44)
A árvore é conhecida pelo fruto. É o caráter que produz o fruto. O caráter é a raiz da árvore. A raiz é a definidora para dizer que árvore ela é. Jesus está falando das coisas que vão dentro do coração, da raiz. Ele quer saber o que gera os meus pensamentos.
Sempre vale a pena lembrar aquela antiga, mas eterna escala:
Um pensamento muitas vezes pensado gera uma ação, uma ação muitas vezes praticada gera um hábito, um hábito muitas vezes repetido vira um vício e um vício vivido por muito tempo vira minha natureza.
O meu caráter é o definidor das minhas ações. Jesus quer a transformação de caráter.
Algumas perguntas nos ajudam a diagnosticar se minha (árvore) espiritualidade está dando frutos de vida.
O que me empolga?
O que eu mais amo?
Quem eu admiro? (meus ícones, referenciais, quem eu quero ser)
Com quem eu ando? (quais meus companheiros, com quem eu gosto de estar)
O que dizem a meu respeito aqueles que me amam?
Quais os meus sentimentos com relação a Deus e ao seu reino de Deus?
Como você se comporta quando ninguém está vendo?
Lembre-se: Caráter é o que faço no escuro.

3° COMPROMISSO (46)

46 Por que me chamais Senhor, Senhor, e não fazeis o que vos mando?
Ser cristão não é ser “sapatinho de fogo”, não é andar de terno e gravata, ser cristão não é ser tradicional ou pentecostal, ser cristão não é ser Batista, ser cristão não é vir ao culto... Ser cristão é fazer o que Jesus manda!
Quando eu chamo a Jesus de Senhor, não é como eu chamo o “Senhor” da padaria da esquina (“Senhor me Vê um café, por favor. ) Não é assim. Senhor aqui neste texto é como aquele que tem direitos sobre o escravo. Então, pressupõe-se que quando eu chamo Jesus de Senhor, eu faço o que ele manda.
Há um relato na Bíblia (Atos 10) onde Pedro está na casa de Simão, o curtidor, e Pedro sobe ao terraço para orar, nisso ele teve fome e foi arrebatado dos sentidos quando lhe veio uma visão onde ele via uma espécie de lençol onde havia todo tipo de animal quadrúpede. Nesse ponto Deus lhe ordena: Levanta-te mata e come!. Contudo a resposta de Pedro é interessantíssima: De modo nenhum, Senhor!
A resposta de Pedro junta duas expressão que não combinam: Não, e, Senhor.
Ora, se ele de fato é o Senhor, eu tenho que fazer o que Ele mandar!
Amor sem compromisso é conversa fácil. Amor e compromisso são sinônimos. Você não pode dizer para sua esposa(o) que você a(o) ama se você não tem compromisso. Você só pode dizer a Deus que o ama se você tem um compromisso com ele.
Você já pensou no pai nosso:
Talvez eu só possa orar o Pai nosso se:
Pai nosso: se demonstro esse relacionamento no dia a dia
Santificado seja: só se eu me esforço para ser santo
Venha o teu reino: se desejo que as verdades da palavra estejam na minha vida
Seja feita a tua vontade: se de fato quero fazer o que ele acha melhor
Assim na terra como no céu: se quero que minha vida reflita o céu
O pão nosso de cada dia: se estou preparado para passar por provas e necessidades
Perdoa as nossas dívidas como nós perdoamos os devedores: Se eu tiver disposição de tirar o rancor do meu coração
Não nos deixe cair em tentação:se estou disposto a fugir do mal
Livra-nos do mal:. se eu quero combater o pecado na minha vida
Pois teu é o reino: se eu estiver disposto a abrir mão de construir o meu próprio reino
Teu é o poder: se eu abro mão de controlar minha vida
E a glória para sempre: se eu abrir mão do meu direito de “me achar” (vaidade)
Amém: custe o que custar isso é tudo o que eu quero de ti.
Jesus está nos dizendo: "Você quer ser meu discípulo"? Faça o que eu mando!
Amar é assumir compromissos!
Qual é o compromisso que você tem com Deus? Quanto tempo ele dura? Um culto, um dia, uma hora? Um mês? Uma festa? Uma cantada?
Seus movimentos espirituais têm que fazer alguma diferença na sua vida! A Bíblia me proíbe de ser juiz, mas podemos inspecionar o fruto! O compromisso com Deus é demonstrado com a vida.

4° SOLIDEZ (47-48)

47 Todo aquele que vem a mim, e ouve as minhas palavras, e as pratica, eu vos mostrarei a quem é semelhante.48 É semelhante a um homem que, edificando uma casa, cavou, abriu profunda vala e lançou o alicerce sobre a rocha; e, vindo a enchente, arrojou-se o rio contra aquela casa e não a pôde abalar, por ter sido bem construída.
Deus quer crentes preparados para a vitória, mas também preparados para a dor e para a tribulação.
No término do sermão ele vai demonstrar á quem se compara aquele que ouve e obedece suas palavras: 48 É semelhante a um homem que, edificando uma casa, cavou, abriu profunda vala e lançou o alicerce sobre a rocha; e, vindo a enchente, arrojou-se o rio contra aquela casa e não a pôde abalar, por ter sido bem construída.
Jesus não diz: Porque pode ser... quem sabe... talvez a tempestade venha... É isso o que ele diz? Não!! Ele diz: ...vindo a tempestade!
Jesus não trabalha com a tribulação na perspectiva da possibilidade, ele trabalha com a tribulação na perspectiva da certeza!
Nossa geração está infectada pelos conceitos da teologia da prosperidade: você é cabeça e não cauda; vai dar tudo certo; você vai ficar rico!
Mas, como fica o Novo testamento? Pois no N.T. os crentes são chamados para aprender a viver debaixo de tribulação! É assim que Jesus falava: “Se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz e siga-me” Mateus 16:24
Os crentes da igreja primitiva apanhavam, eram perseguidos, morriam por amor Jesus e faziam tudo isso com felicidade. Jesus não diz: “Olha se você não fizer a sete semanas de descarrego da igreja você vai passar tribulação”.
Pelo contrário Jesus está garantindo que eu vou passar por provas. João 16:33: “Tenho-vos dito isso, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo; eu venci o mundo”. Isso é uma afirmação!!
Você já reparou como os crentes de hoje em dia são muito mais inconstantes que os de antigamente? Você já notou como as pessoas se desviam com facilidade hoje?
Lembro-me de uma senhora que conheci na minhaadolescência, que sempre chegava mais cedo no culto, vivia lendo a Bíblia com um sorriso no rosto e sempre dizia: Deus é bom! Eu nunca a via reclamar de nada. Mais tarde fui descobrir que ela morava em um barraco, seu marido havia falecido e ela não tinha pensão. Apesar de tudo isso aquela mulher tinha alegria, tinha um coração grato a Deus!
O que está acontecendo com os crentes de hoje? Estamos invertendo os valores do evangelho.
A coisa mais fantástica do mundo só nos temos. Ser rico qualquer um aí fora pode ser, comprar casa qualquer um aí fora pode comprar, ter um carro novo qualquer um aí fora pode comprar, mas ter a salvação eterna, somente aqueles que estão em cristo Jesus têm!!
Quando o vento soprar a sua casa tem que estar firmada na rocha!!!
Temos que estar preparados, para quando o vento contrário soprar, a dor bater na nossa casa, o mundo ao nosso redor rugir, e o nosso coração estar em paz porque a gente sabe em quem tem crido, e sabe que ele é poderoso para guardar o nosso tesouro até o dia final. (2 Timóteo 1:12)


Mensagem que ouvi do Pr. Ricardo Gondim - Extraído e Adaptado
Pr. Christian Doerzbacher

Um comentário:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir